GERAL
Covid-19 em Sinimbu: subiu de 19 para 27 casos somente nesse mês
   
Aumento de casos de Covid-19 preocupa autoridades

Por Divulgação
27/11/2020 00h00

A Secretaria de Saúde e Bem Estar Social de Sinimbu alerta a comunidade para o aumento dos casos de Covid-19 no mês de novembro, alcançando nessa semana 27 casos positivos. Até o início do mês de novembro Sinimbu registrava 19 casos e, de acordo com o boletim divulgado quinta-feira, dia 26, o município já possui o registro de 27 casos positivos, além de 12 casos em isolamento suspeitos com sintomas da doença.
Neste sentido, o setor de Vigilância Epidemiológica do Município informa a comunidade que o Decreto de Calamidade Pública ainda está em vigor e orienta a população a não descuidar dos cuidados de isolamento social preconizado pelo Estado. Além destes, a população deve manter os cuidados pessoais de higiene e etiqueta respiratória, como o uso de máscara, lavagem das mãos e uso de álcool gel.
Os pacientes com sintomas da doença, como dor de garganta, falta de ar, febre, tosse, dor de cabeça, perda de olfato e de paladar devem comparecer ao Posto de Saúde para consultar e coleta de exame de PT-PCR, a qual será encaminhado a LACEN – Laboratório Central do Estado/RS – para análise. Da mesma forma, os pacientes serão encaminhados para o isolamento social com sua família até a saída do resultado do exame. “No caso do exame resultar em positivo, o paciente deve ficar ainda por mais 10 dias isolados em casa, para que não seja fonte de contaminação na comunidade”, detalha a secretária de Saúde de Sinimbu, Sinara Dhiel.


CHIMARRÃO E COVID-19
O velho e bom chimarrão, um dos hábitos dos gaúchos, pode ser grande fonte de contaminação da Covid-19. Isso porque a bomba tem contato direto com a secreção oral das pessoas, meio onde o vírus pode estar presente. Por este motivo, as rodas de chimarrão durante esse período de pandemia devem ser canceladas.
Para quem quer continuar tomando seu chimarrão, a orientação é para que cada um providencie o seu Kit chimarrão individual. “Cada um com sua cuia, bomba e térmica, não compartilhando e tocando coletivamente no seu kit chimarrão evitando assim o contágio da doença. Se cada um fizer sua parte, logo poderemos voltar à normalidade da vida”, finaliza Sinara.

   

  

menu
menu