ENTREVISTA
Sinimbuenses pelo mundo: Janaína relata experiência em um país da Oceânia
   
Janaína Backes está desde fevereiro lá e nesta matéria contará diversos acontecimentos marcantes.

Por Catiéle Vogt
04/12/2020 15h05

Hoje contamos a história de mais uma sinimbuense que vive no exterior. Janaína Backes, de 25 anos, está morando na cidade de Queenstown, na Ilha Sul da Nova Zelândia desde 21 de fevereiro deste ano.
 A oportunidade surgiu em 2019 quando ela aplicou para o Working Holiday Visa, que é um visto que permite trabalhar e viajar pelo país por 1 ano. Todo ano a Nova Zelândia abre 300 vagas do visto para brasileiros, e uma das vagas foi preenchida pela sinimbuense.
 Janaína conta que as primeiras semanas foram difíceis pela dificuldade com o idioma, porque apesar da língua oficial ser o inglês, os kiwis (como são chamados os neozelandeses) tem um sotaque bem diferente do inglês norte americano e o da Inglaterra e usam muitas gírias. “Passada essa dificuldade inicial a adaptação foi bem tranquila, o povo daqui é bem gentil e encontrei alguns brasileiros que tornaram o momento mais fácil”, comenta.
 A escolha do país se deu pelo fato dele conter paisagens deslumbrantes e ser muito receptivo para imigrantes e turistas, além de ter bastante oferta de emprego e a criminalidade ser muito baixa. “No momento estou trabalhando como bartender em um dos pontos turísticos de Queenstown nos turnos da tarde e noite e tenho as manhãs livres para estudar inglês e curtir a cidade. Nas folgas aproveito para viajar pela região, que tem muitas trilhas e atividades radicais. Além de Queenstown ser considerada uma das cidades mais lindas da NZ, é a capital mundial dos esportes radicais”, explica.
Janaína explica que o país transmite uma  sensação de segurança, tanto nas cidades pequenas como nas cidades grandes. “Morei por um tempo em uma casa que não tinha chave, as portas ficavam destrancadas o tempo todo e ninguém estava preocupado com isso - me surpreendi no primeiro dia, no Brasil não faria isso, nem em Sinimbu”, destaca.
Quando questionada do que sente mais falta, Janaína comenta que sente falta da comida do Brasa Quente (restaurante da família), da família, dos cachorros e da comida boa que só se encontra em Sinimbu.
 

COVID-19
Na Nova Zelândia o COVID está controlado. O Governo conseguiu aplicar o melhor plano de ação do mundo contra o COVID, que incluiu confinamento total entre março e maio e fronteiras internacionais fechadas até hoje e sem previsão de serem reabertas. “Apesar de ter sido um período complicado entre março e maio, onde os únicos estabelecimentos abertos eram farmácias e supermercados, agora estamos vivendo normalmente, sem restrições”, comenta.
Nos próximos meses Janaína aproveitará a oportunidade para aprender coisas novas na gestão de negócio de hospitalidade, para quem sabe aplicar em Sinimbu, em breve.
 

   

  

menu
menu